Dicas importantes para preparar o filho mais velho para a chegada do novo bebê

A gestação e o nascimento sempre são momentos de muitas mudanças e adaptações para as mães e pais de primeira viagem: o novo membro da família normalmente vem acompanhado de um aprendizado intenso, para dizer o mínimo. Mas e a chegada do segundo filho? Chegada do novo bebê?

Agora os pais já estão mais experientes e seguros. Já sabem como funcionam as noites em claro, já passaram por birras e pela introdução alimentar. Muitas vezes já até viveram a adaptação escolar do mais velho. Ainda assim, ter um filho mais novo apresenta seus desafios próprios: ao invés de dois adultos tentando lidar com um novo membro na família, agora é preciso também preparar uma criança que até então era filha única.

Pensando nisso, hoje o MamãeBox e a Twinkl trazem algumas dicas que podem te ajudar nessa transição. Poderão ajudar a preparar o filho mais velho para a chegada do novo bebê. Não é fórmula mágica (isso existe?), mas são algumas alternativas práticas que você pode aplicar e adaptar em casa e tentar ajudar o mais velho com a chegada do novo bebê.

Antes de o bebê nascer

1. Você pode aproveitar as etapas do pré-natal para puxar assunto de forma tranquila com seu filho sobre o novo irmãozinho ou irmãzinha. Se quiser (e a sua clínica ou hospital permitir), você pode até levá-lo junto para a sala de ecografia. Independentemente disso, converse com a criança sobre como foi a consulta. Mostre as imagens de ultrassonografia, comente sobre o que o bebê estava fazendo (se estava sentado, chupando o dedo ou com a mão no rosto, por exemplo) e trace um paralelo com o irmão mais velho: conte como foi para você quando viu seu primeiro filho pela tela do equipamento médico pela primeira vez, por exemplo. Assim, você mostra que a chegada do bebê é um momento que envolve toda a família, e não apenas os pais.

2. A gente sabe que gravidez normalmente não é fácil e vem acompanhada por sono, cansaço e desconfortos. Se você acha que não vai conseguir manter a rotina de convivência que tinha com seu filho, vale buscar alternativas para ocupar o tempo da criança sem que ela sinta que está recebendo menos atenção. É hora do pai entrar em ação de forma mais intensa e assumir as brincadeiras mais agitadas, enquanto a mãe fica com as atividades mais calmas, como ver um filme.

3. Pergunte ao seu filho se há algo que ele queira saber sobre o bebê. É possível que existam muitas dúvidas: desde qual o tamanho que os bebês têm ao nascer até de onde eles vêm. Sinceridade é a chave, mas explique apenas o que foi questionado. Muitas vezes, a pergunta “de onde vêm os bebês?” requer uma resposta simples, como “da barriga das mamães”. Se a criança quiser saber mais, ela vai perguntar mais! Você pode falar sobre algumas curiosidades também, como o fato de bebês nascerem sem dentes mas com unhas, ou que alguns nascem com cabelo e outros sem. Quanto às questões, o mais importante é que tranquilidade e honestidade sejam as suas melhores amigas nessa hora.

4. Crianças muito pequenas têm uma noção limitada de tempo. Para elas, “6 meses” pode não significar muita coisa. Se quiser ajudar seu filho a ter uma noção mais clara de quando se tornará irmão mais velho, use exemplos mais materiais: perto do Natal, perto da Páscoa, no inverno, no verão…

5. Um jeito legal de envolver seu filho no nascimento do irmão é convidando a criança a te ajudar. Leve-o quando for fazer compras e peça opiniões no que for possível: você pode deixar ele escolher a cor de uma roupinha ou a marca de lenços umedecidos. É bacana tratar esses momentos como uma forma de mostrar como a criança vai continuar incluída nas questões familiares.

6. Que tal providenciarem uma lembrancinha (que não precisa nem ser comprada) para o irmão mais velho dar ao irmão mais novo quando ele sair da maternidade? Se a criança já souber ler e escrever, ela pode fazer um cartão. Se ainda não souber, pode ser um desenho criativo. Os pais também podem pensar em algo sentimental para dar ao filho mais velho, já que vai ser uma fase de atenções muito voltadas para o recém-nascido.

7. Vocês podem usar o nascimento do irmão mais novo para tirar do baú as lembranças dos primeiros meses do filho mais velho: explorem os álbuns de foto, conversem sobre os primeiros passos e as primeiras palavras, conte histórias engraçadas. Reforce o vínculo entre os irmãos e fale sobre o quão legal vai ser quando o mais velho puder ajudar o mais novo a fazer todas essas descobertas da infância.

8. Esbanje carinho! Não economize nos abraços, no cafuné e nas palavras de afeto dedicadas ao seu primeiro filho. Lembre-o do quanto ele é amado e fale sempre sobre como ele é especial e importante.

Depois que o bebê chegar

1. Vale para o primeiro, para o segundo e para quantos mais você quiser ter: depois do parto, respeite seu tempo e não se apresse em ver as pessoas ou receber em casa. Amigos e parentes vão entender se vocês quiserem ficar alguns dias a sós a sós com a nova configuração familiar. Aproveitem a passagem desse tempo em família para ajudar seu filho mais velho a se adaptar à chegada do irmão e reforçar o vínculo entre eles.

2. De maneira adequada à idade da criança, envolva-a nos cuidados do bebê – se ela não quiser, não force nada, mas deixe o convite em aberto. Pode ser pedindo uma fralda para trocar ou se oferecendo para ensiná-lo a segurar o irmãozinho no colo. Aproveite e elogie quando seu filho for carinhoso com o bebê.

3. A gente sabe que não é fácil, mas tente manter um tempo individual com o mais velho. Dessa forma, você garante que ele tenha o seu próprio momento de atenção exclusiva. Muitas vezes vocês nem precisam sair de casa: esse momento a sós pode ser contando uma historinha antes de dormir, por exemplo.

4. Mantenha uma rotina estruturada (dentro das suas possibilidades, é claro). Isso ajuda a dar uma sensação de previsibilidade e estabilidade ao filho mais velho, deixando-o mais tranquilo. Se for fazer alguma mudança, é interessante explicar os motivos – dizer, por exemplo, que quem vai levar a criança para a escola agora é o pai porque o bebê tem muita fome e só a mãe pode alimentá-lo.

5. Pode ser que seu filho queira ficar longe do bebê ou até imitá-lo: é normal. Se o pedido é por mais atenção, tentem suprir isso. Lembre-se que apesar de ser o mais velho, seu filho ainda é só uma criança. Sentimentos de confusão e ansiedade são normais quando passamos por mudanças: continue mostrando que o seu amor não diminuiu e que todos da família são fundamentais.

Acima de tudo, vale lembrar que não existem respostas certas ou erradas quando se trata de lidar com a chegada de um novo bebê em casa. A pessoa que melhor conhece a sua família e a sua realidade é você – por isso, confie em si mesma ao decidir como vai tratar esse novo momento.

E não se sinta culpada caso as coisas não saiam exatamente como você esperava. Lembre-se de ser gentil com seus filhos, mas também consigo mesma. Apresentar um novo bebê ao agora irmão mais velho com certeza vai ser um dos momentos mais emocionantes da vida familiar. Aproveite a nova fase e boa sorte!

Texto traduzido e adaptado deste recurso da editora Twinkl.

Siga @mamaebox no www.instagram.com/mamaebox

Você pode ter frete grátis e promoções exclusivas ao se tornar um membro Prime Amazon! Inscreva-se e ganhe 30 dias grátis CLICANDO AQUI. A assinatura é de apenas R$ 9,90 por mês e também garante entrega mais rápida, acesso a filmes, séries e desenhos animados. Assine 30 dias grátis!


Deixe seu comentário